Anúncios
Skip to content

No Facebook : Crise Hídrica

Meus ex -alunos estão sempre em contato. Ou a gente fala besteira nas redes sociais, ou eles me pedem ajuda via “Zap Zap” ! Agora, tive uma grata surpresa! Eu interpretei assim: era para ser um simples trabalho do ensino médio sobre  Crise Hídrica e Novo Código Florestal, mas, como é típico dessa geração, os alunos criaram uma página no Facebook para disseminar as informações.

10906395_367953076748724_2150646012752771376_n

A minha ex -aluna Maria Luiza me chamou para curtir a página e contribuir. Esse é o achado dessa nova geração: participação. Não vale mais só fazer um trabalho em grupo, entregar, apresentar… e acabou. Por que não dividir com outras pessoas? Por que não receber informações de outros? Por que não espalhar as ideias?

Professores, vejam que potencial enorme esses meninos estando nos dando. Pensem: sua aula pode ficar dentro da sala, dentro da escola ou alcançar o mundo. Que tal? A escolha é sua!

Convido a todos a curtir e colaborar com a página A Crise Hídrica e o Novo Código Florestal

Anúncios

“A Hora da Virada”- Pedido de ajuda

A leitora e Professora Tânia Lucia me pediu ajuda via o post Professor de 4o e 5o anos.

Ela fala de uma turma com alunos de 6o e 7o ano em um projeto chamado de “Hora da Virada”. Antes de tudo quero deixar bem claro:

1- não tenho a receita de bolo, a pílula vermelha de Matrix…

2- não sou dona da verdade;

3- tudo é para ser adaptado à sua realidade.

Assim sendo, vou postar aqui um documento onde rascunho um projeto para a Professora. Contudo, claro que pode ser usado por qualquer Professor.

Monocotiledôneas e Dicotiledôneas

Sala de Aula Invertida

Tenho sempre um pé atrás das novidades que aparecem. Não acho que meus alunos devam servir de cobaias para os experimentos, porém existem ideias que me chamam a atenção e essa é uma delas.

O flipped classroom, ou sala de aula invertida, é o nome que se dá ao método que inverte a lógica de organização da sala de aula. A ideia é que o aluno leia, faça atividades e aprenda em casa. Na sala de aula, cabe ao Professor tirar as dúvidas e aprofundar os conteúdos, promovendo debates e servindo de mediador. Pronto, o aluno vai para sala de aula já com algum conhecimento e o Professor não é mais o detentor do saber. Quase que uma velha ideia em uma nova roupagem.

Sabemos que o aluno já tem algum saber sobre o que você vai falar. Ninguém mais acredita que a pessoa é uma folha em branco ! ( Será que alguém ainda pensa assim?) O grande pulo do gato é usas as novas tecnologias para isso e é ai que eu achei legal. Neste semestre, colocarei isso em prática assim:

O famoso dever de casa será no meu site Aulas de Ciências e Biologia onde já coloquei algumas atividades. No lugar de servir como exercício de fixação, a aula no site vai servir como o primeiro (será o primeiro mesmo?) contato do aluno com o conteúdo.

O bom é que no site poderei ver quem entrou e se fez o que foi proposto. Na sala de aula, promoverei debates com perguntas sobre o que foi feito em casa e tirarei as dúvidas.

Acho que vai dar pé ! Vamos ver ?

Info-FlippedClassroom-001-1

Genética em Números

Números

https://i0.wp.com/dicasdeciencias.com/wp-content/uploads/2012/12/dnahumanoextraterrestre.jpg?resize=469%2C392

8%

é o aumento médio de produtividade dos agricultores com o uso de grãos transgênicos.

60 milhões de hectares

era a área mundial cultivada com sementes transgênicas no mundo até o fim de 2004. Em 1996, havia 1,7 milhão de hectares.

400

produtos de uso médico têm em sua fórmula organismos geneticamente modificados.

3,7 milhões de dólares

foi o custo do projeto americano para produzir o primeiro clone de animal doméstico, a gata “Cc”, cópia de “Rainbow”.

1936

foi o ano em que o tigre-da-tasmânia, animal típico da Austrália, foi extinto. Cientistas do país querem cloná-lo até 2010. A chance de sucesso é de apenas 10%.

600.000 reais

foi o custo do projeto brasileiro para produzir o primeiro clone a partir de uma célula de animal adulto, o bezerro “Marcolino”.

200 mulheres

se ofereceram como voluntárias para as experiências de clonagem humana do médico italiano Severino Antinori.

276

tentativas de clonar uma ovelha fracassaram antes do nascimento de “Dolly”, na 277ª tentativa, de acordo com o Instituto Roslin, em Edimburgo (Escócia).

99,99%

é o porcentual de semelhança entre todos os seres humanos, do ponto de vista biológico. A diferença entre um negro e um japonês está apenas em uma letra trocada a cada conjunto de 1.000 entre todas que formam nosso código genético.

1%

do DNA humano contém informações químicas que ajudam a definir um ser humano. A estrutura tem partes enormes que parecem absolutamente inúteis aos cientistas.

300 genes

separam o genoma do ser humano do mapa genético do camundongo. Os chimpanzés são primos ainda mais próximos, com diferença ainda menor.

3 bilhões

de pares-bases formam o DNA, onde há informações capazes de encher 200 listas telefônicas de 500 páginas cada uma.

1.000

pesquisadores de vinte países diferentes participaram da empreitada para mapear o genoma humano. O projeto custou cerca de 3 bilhões de dólares.

Frases

“Nosso trabalho abre as portas para usar essas células em vários tipos de transplante e diminuir os riscos de rejeição.”

Moon Shin-yong, cientista sul-coreano, defendendo seu estudo envolvendo o desenvolvimento de células-tronco embrionárias a partir de um embrião humano clonado.

“O Vaticano me comparou a Hitler, mas me considero um Galileu Galilei. É um trabalho importantíssimo para a humanidade, e nós o faremos.”

Severino Antinori, médico italiano conhecido pelo anúncio de que produziria o primeiro clone humano, algo que ainda não fez.

“A única maneira de chegar à perfeição na clonagem é pela prática, pela repetição, por tentativa e erro. Nas experiências com animais isso é perfeitamente aceitável. Mas com seres humanos é antiético agora e será pelas próximas décadas.”

Alan Colman, diretor da PPL Therapeutics, empresa líder na criação de animais geneticamente modificados para produzir remédios.

“A clonagem ainda é uma técnica cheia de falhas, quase uma loteria, na qual se obtêm acertos às vezes por pura sorte. Mas a clonagem humana de fato acontecerá. Isso é inevitável.”

Lawrence Smith, veterinário brasileiro, filho de ingleses, que trabalhou com Ian Wilmut, criador da ovelha Dolly.

“Também a eletricidade demorou a ser usada depois de sua descoberta.”

John Craig Venter, biólogo americano que participou do projeto genoma da empresa Celera.

“Nós temos o livro. Agora precisamos aprender como lê-lo.”

James Watson, co-autor da descoberta da estrutura do DNA, em 1953, ao lado de Francis Crick, sobre o Projeto Genoma.

“Nosso clone abre uma fronteira na melhoria genética das raças animais. Estamos no mercado de agropecuária, não no de filmes de terror.”

Ian Wilmut, cientista responsável pela criação da ovelha “Dolly”.

“Vou fazer pelo menos 500 clones por ano numa clínica em Chicago e, mais tarde, abrirei filiais nos Estados Unidos e em outros países. Se o governo americano tentar me impedir, vou para o México ou qualquer outro país que esteja disposto a me aceitar.”

Richard Seed, pesquisador americano que anunciou planos de clonar humanos pouco depois do surgimento da ovelha “Dolly”. Ele jamais conseguiu cumprir a promessa.

“O amanhã da genética é a criação de animais transgênicos capazes de secretar substâncias úteis ao homem. Clones humanos ficam para muito depois, para o futuro distante.”

Donald Wolf, cientista do Centro de Pesquisas de Primatas da Universidade de Oregon.

in Veja – http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/genetica/numeros_frases.html

 

 

 

Feira de Ciências 2012

É um momento de muito trabalho, de muita dor de cabeça, …. mas eu amo.

Uma Feira de Ciências nos leva a conhecer facetas dos nossos alunos que não vemos normalmente.

Veja as fotos!

Inoculando um Meio de Cultura

Minha Turma fazendo bagunça

Meus lindos trabalhando para a Feira

Durante a Feira

Alunos deram aula

Muitas explicações

Explicando...

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais ideias para a Feira de Ciências

Tinta invisível

Barco movido a Tensão Superficial

Dilatação

Filme Criação sobre Charles Darwin

Vai virar um pequeno “projetinho” para o Ensino Médio. Vamos ver o filme e fazer um pequeno debate sobre o filme ?

É um filme que mostra Darwin como um ser humano atormentado pelas ideias que estava tendo, pela pressão de escrever o livro (” Origem das Espécies” ) e a tristeza da perda da filha Annie. A sua devoção pela família, a guerra interna sobre a sua Crença e o amor pela esposa Ema está tudo aqui neste filme. Dá “pra” sofrer com ele.

Veja o Treiler  para dar o gostinho. Vamos nós ?

Motor feito com Imã

Ideia para a Feira de Ciências

Para o Ensino médio: um motor feito com um imã:

Material necessário:

  • 1- Ímã de neodímio (com formato cilíndrico)
  • 1- Parafuso médio
  • 1- Pilha de 1,5V ou superior
  • 1- Pedaço de fio fino
  • fita isolante
  • faca ou estilete

Veja o passo a passo aqui: Ponto Ciência

É espetacular e dá certo. Veja o filme e procure no Ponto Ciência a explicação:

Animação feita por Alunos

Olha que animação super legal feita pelos meus alunos do 9o ano da Escola Municipal ! A Professora Isabel, da Oficina de Artes, orientou os meninos ( César e Vitória).

Eles pegaram a ideia da Inércia, bebida alcóolica, direção e a falta do cinto de seguranca. A fórmula errada deu nisso :

Animais em Extinção

Para os alunos de 4o e 5o anos:

Clique aqui e leia sobre os animais em extinção : ANIMAIS em Extinção 

Depois, escreva nos COMENTÁRIOS o que achou de mais interessante para que a gente converse na Sala de Aula.

Veja, com atenção, o mapa abaixo:

Caprichem !

%d blogueiros gostam disto: