Anúncios
Skip to content

Germinação das Sementes

Um dos experimentos que mais fazemos em sala de aula é o clássico  plantar sementes de feijão no algodão.

Muitos Professores, nas formações, me perguntam se ainda está em uso fazer isso. Tenho muitas respostas , mas a resposta comum para essa pergunta é outra pergunta: Por que não estaria mais em uso?

Esse tipo de observação poderá levar a muitos tipos de aulas com diferentes objetivos.

feijao-copo1-1024x764

Observar …

A única coisa que não dá para fazer, neste tipo de experimento, é plantar e deixar a criança levar para casa. Deixe a semente em sala, promova momentos de observação e registre. Ajude os alunos a observarem e registrarem. Faça perguntas e incentive o levantamento de impressões, hipóteses , chutes…

O errado é o certo. Não deixe de registrar tudo.

hqdefault

14846625_L3DGJ

experic3aancia-feijc3a3o-003

 

Perguntas…

Faça as perguntas e arrume a experiência para que obtenha as respostas. Por exemplo: o que é necessário para a semente germinar?

Monte uma experiência controlada e deixe as hipóteses aparecerem.  Deixe, também, as perguntas “rolarem!” Isso sim é Ciências.

Dúvidas…

Muitos alunos, principalmente os menores, não sabem de onde surge a plantinha da semente. Uns acham que a água faz uma mágica ou que a semente se transforma em uma planta.

Uma das coisas que faço é mostrar o embrião dentro do feijão. Com um pouco de paciência e colocando o feijão de molho na água por algumas horas, você abre a semente ao meio e mostra a plântula.

Não precisa dar os nomes todos… Mas mostre.

imagem2

Um vídeo vale muito.

O vídeo que mostra a germinação de maneira rápida, também ajuda muito. Mas nada substitui o experimento.

Anúncios

Destino do Lixo -Tema de Aula

Um pedido muito interessante da Priscila: Lixo.

Aqui está um resuminho do pedido feito por ela no post Sugestões de Aula.

tema priscila1

Pode parecer um pouco pernóstico, mas esses temas de Meio Ambiente pode se tornar altamente pouco sustentável. Pois no afã de querermos ensinar aos alunos que é importante preservar o meio ambiente podemos ou tornar o projeto lindo, mas pouco prático ou altamente poluente. Já explico isso!

Competência

Antes vamos traçar uma competência e que se torne um guia para todo o ano.

Compreender a natureza como um sistema dinâmico e o ser humano, em sociedade, como um de seus agentes de transformação.

Veja que essa é a ideia. Não será em uma aula que esgotaremos o assunto, nem em um projeto na escola ( nem que seja nela toda) ou uma simples coleta de lixo que fará realmente a diferença.

lixo

Processo

É o conjunto da obra que fará a diferença. Este é o tipo de tema que é uma construção, desde os pequenos que aprendem a jogar o lixo no lixo até os maiores que aprendem que o tipo de consumo gera mais ou menos lixo. Temos que ter isso sempre em mente antes de continuarmos. A formação de um cidadão é um processo lento e eterno.

E ai é que temos que ter pontos de atenção:

  • Cuidado ao falar de consumo.

Alunos com renda menor têm dificuldades de adquirir bens e ter algo não é feio. O feio é ter algo que não se necessita. Então fazer pouco dos meninos que querem o celular da última geração, talvez seja um tiro no pé. Claro que eles querem e claro que é lícito eles quererem . Mas a pergunta que tem que ser feita: é necessário mudar de celular todo ano?

  • Cuidado ao falar de alimentação.

Sabemos o quão a pecuária impacta o meio ambiente. Mas nada de radicalismos. Já trabalhei em uma comunidade bem carente. Muitas famílias só podiam comer carne no domingo. Falar que eles não podem comer carne, é terrível ali. Cuidado com o público alvo. Também não torne demoníaco o cara que come carne todos os dias. Esse é um hábito difícil de romper, que por vezes pouco depende da criança… Lembre-se: você está em um processo de formação.

  • Cuidado com projetos de reutilização.

Sabe aquele projeto muito bem intencionado com o Professor de Artes para fazer brinquedos com sucata? Isso é um problema! Primeiro que fica a ideia no aluno assim: Fiz um brinquedo de garrafa PET. Legal. Jogarei fora em uma semana.

Mais lixo.

Depois é que você pode estar estimulando o aluno a juntar mais lixo. Vou dar um exemplo: Em uma escola onde trabalhei, as Professoras de 1o até 5o anos montaram um projeto “Ecológico”. Uma das tarefas era montar tais brinquedos com sucata. Uma das turmas precisava juntar mais de 50 tampinhas de PET. Conclusão: tomaram refrigerante pra caramba, as famílias compraram literalmente a ideia. E a garrafa? Lixo

Tenha em mente

Lembra do que falei em tornar o projeto pouco sustentável? O último ponto de atenção mostra o quão estamos no limiar do que eu falo mas não faço.

Tenha em mente que o exemplo grita mais do que as palavras. Se você escreve em um cartaz: cuide da natureza. E não mostra que com atitudes simples isso de fato pode acontecer… Isso vai por água abaixo.

Projeto para a Escola

Não acredito que esse tema seja um tema de uma aula em Ciências. Isso tem que ser abraçado pela escola. Darei uma sugestão para a escola.E esse foi usado em uma escola onde trabalhei, em uma semana ( 5 dias), com turmas de 6o ano até ensino Médio.

No começo do Projeto usei vídeos pequenos para sensibilizar os alunos. Cada professor em cada disciplina usou um vídeo e conversamos com os alunos. Coloco alguns aqui:

No mesmo dia, era uma segunda, fornecemos para cada aluno uma sacola bem simples de pano relativamente pequena e combinamos. Tudo que vocês precisarem para a aula durante essa semana terá que caber nessa sacola.

Claro! Nessa semana, procuramos não exigir material muito pesado ou grande. Antes, na semana anterior, reunimos os responsáveis e explicamos o que aconteceria.

Você imagina o que foi. Adolescentes de classe média / alta, que levavam trocentas coisas, teriam que levar um pouquinho. Olha o desafio!

Nesta semana, debatemos o lixo que produzimos, a razão desta quantidade, como reduzir, como reutilizar… O que era realmente reciclar. Porque reciclar é o último dos recursos.

Ouvir é uma das ideias desse projeto. Os alunos têm opiniões formadas, já ouviram, leram sobre o assunto. Mas, muitas vezes, é superficial,não tem consistência. Sem consistência, não há como manter as ações.

Montamos um painel enorme durante a semana que separava assim os objetos do dia-a-dia: o que eu necessito, o que eu acho que necessito e o que não necessito. Os alunos iam escrevendo e colocando no painel. E por incrível que pareça , começou um troca troca. Coisas que eles necessitavam foram andando para o que eles não necessita. E o tema do recreio era o painel. 

No final, perguntamos: era necessária a mochila enorme com um monte de coisas?

Depois, deixamos que a meninada usasse a mochila. Mas observamos. Realmente, teve aluno que reduziu os badulaques da mochila. Outros não. Mas creio que deixamos uma sementinha ali.

Para adaptar nas aulas de Ciências

Talvez, a escola não compre essa ideia. Mas você pode mostrar um ou dois vídeos em sala.

Debater, ouvir o que os alunos acham. Fazer o painel em sala. 

Uma ideia que sempre coloco em prática é pedir para os alunos jogarem qualquer papel em um recipiente selecionado. Não jogue fora por uma semana. Mostre a quantidade de papel que eles jogam fora e como poderia reutilizar. 

Mas lembre-se do processo. Não será em uma aula, em um dia ou em uma semana que você tornará uma turma de 40 alunos em cidadãos sustentáveis.

Espero ter ajudado.

obrigado-440x289

 

 

Aula sobre Diversidade

Muito legal ver o interesse dos Professores de querer fazer diferente. No artigo, Sugestão de Aulas, tive muitas repostas. E para a minha supresa, a Maria escreveu como trabalha nas turmas de 6o e 7o anos ( acredito que seja mais para o 7o ano) o tem diversidade de seres vivos.

Vou compartilhar aqui um resumo e comentar.

plano de aula

O que mais me chamou atenção é o protagonismo que essa Professora dá aos alunos. Ela não fica falando, falando e falando. Ela faz uma espécie de jogo e os meninos se envolvem com a aula. O importante aqui é ver que ela trabalha termos como revestimento, locomoção… junto com o jogo de adivinhação. Já fiz isso como um Cara – a – Cara ( lembra do Jogo ?) animal. Muito bacana mesmo.

Outro ponto importante são os objetivos. Repara que ela não lista um monte de objetivos. Quando usamos 1 ou 2 objetivos podemos ter tempo de trabalhar, ficamos menos ansiosos em chegar lá.

volta-as-aulas-1

Mas vamos a algumas ideias para somarmos as ideias da Maria.

Olhe para as habilidades que estão listadas no plano de aula. 

Entenda que as habilidades cognitivas são mecanismos do cérebro que estão relacionados com processos de aprendizagem e de memorização de informações. Por vezes, confundimos isso com os nosso objetivos. Os objetivos ajudam nas habilidades e um conjunto de habilidades formam uma competência.

Neste caso as habilidades e os objetivos se confundem. O que gosto é de traçar habilidades transversais, que serão trabalhadas em vários momentos ( junto com vários objetivos) no ano.  Atenção, novamente escolha uma ou duas ( acho que duas já é demais) para trabalharmos por aula ou aulas.

A habilidade que eu seleciono para esse tipo de aula é:

Relacionar diferentes seres vivos aos ambientes que habitam, considerando características adaptativas.

Bom… Você está pensando assim: Não dá para esgotar essa habilidade em uma aula. Por isso, ela é transversal. Não dá mesmo e ela tem que ser trabalhada em vários anos de escolaridade.

Então… vejamos aos objetivos?

Reconhecer a diversidade dos seres vivos temos que relacionar com o meio ambiente onde vive. Vamos aos exemplos?

Pergunte ao seu aluno porque um urso polar tem pelos e um camelo poucos pelos. Coloque esse ser vivo no meio e mostre que existe uma relação entre os dois. A diversidade só tem sentido se ligarmos ao meio.

Uma ideia é pedirmos para o aluno fazer desenhos do animal ou planta no ambiente onde está e trabalhar isso.

Respeitar os seres vivos.

O respeito aos seres vivo se dá quando conhecemos esse ser vivo. Não caia na besteira de dizer que um ser vivo é importante para o ser humano e que por isso ele deve ser preservado. Não é bem assim.

Mostre a diversidade, mostre filmes bacanas que ilustram a diversidade. Fale, debata e dê voz aos alunos.

E como a Maria bem fez… Dê protagonismo a eles. É isso que a meninada gosta e vamos combinar, fica mais legal mesmo.

Uma ideia de documentário que gosto de passar é o Life (BBC):

Você quer outras ideias? Preencha o nosso formulário:

Clique aqui na imagem!

aula1

Aula da Célula para os Órgãos

A leitora Analee Borges do Dicas me pediu para ajudar em uma aula sobre Células, Tecidos e Órgãos.

lembre

Bom, estou partindo do princípio que a turma é de 5o ano ( mas pode der do 4o!) e que os meninos já saibam diferenciar o que está vivo e o que não está.

Para começar pergunte aos meninos se eles sabem do que são feitos: pele, sangue, músculos, líquidos… Pode sair mais coisas! Peça para eles olharem para a parede da sala e pergunte do que é feita a parede: cimento, areia, tinta, tijolos…

E pergunte: “Se a gente tirar os tijolos da parede? O que sobra???” Quase nada! Eu sei que essa comparação é velha mas compare os tijolos com as pequenas partes do nosso corpo, e , o nome dessas partes é célula. Explique que a célula está viva ( olha a importância de se saber diferenciar o ser vivo do não vivo) e que faz o mesmo que fazemos: se alimenta, joga fora os restos, produz energia…

Se puder, mostre as células de uma cebola ao microscópio ou use um microscópio virtual  para mostrar as células.

Em outra aula, explique que as aulas se juntam. Novamente compare para ficar mais fácil. Compare com a escola. Uma turma tem características só delas, com alunos parecidos e juntos. A turma é feita de alunos. Os alunos são as células. Um conjunto de células formam o tecido. Várias turmas juntas formam uma escola. Compare a escola com o órgão.

11841611

Comparar é facilitar a a compreensão dos alunos. Pense que nessa idade é mais fácil se o aluno tiver algo concreto para perceber esses conceitos.

Caderno de Planos

Você ainda usa isso?

cadernos de planos3

É a pergunta alarmada de muita gente que trabalha comigo. Acho que faço o estilo moderna, mas uso “isso”!

Planejar uma aula é algo que o Professor não pode abrir mão. Mesmo com anos de estrada não sei iniciar uma aula sem saber o caminho que vou tomar e onde tenho que chegar. Pra isso uso o Caderno de Planos. Escrevo o que tenho que falar, em que tenho que focar, como posso avaliar…

Não faço os planos como aprendi na faculdade, aliais nunca fiz, mas coloco no caderno alguns objetivos, habilidades e competências importantes para aquela aula. Nunca fiz diferente, em quase 19 anos em sala de aula.

E ainda uso sim, acho que é indispensável, o Caderno de Planos. Ele é meu guia. Posso ter dado aquela aula 20 vezes, mas remonto tudo antes de começar.

E aqui estão as fotos da minha bagunça planejada em Sala de Aula!

Este slideshow necessita de JavaScript.

%d blogueiros gostam disto: