Anúncios
Skip to content

Neurociência do Aprendizado

 

Aprender é um ato natural para o cérebro. Um bebê aprende por imitação. A mãe fala e ele repete, o pai faz ele repete. Uma criança aprende por imitação e se tiver o estimulo necessário.

A recompensa é uma arma que o cérebro usa para se “alimentar” de mais aprendizado. Aprender requer recompensa. O jogo faz isso: toda fez que você sobe de nível, seu cérebro ativa o sistema de recompensa, é bom e ele “quer” fazer melhor.

Se a gente, Professor, entender isso, trabalharemos com mais facilidade.

Veja o vídeo abaixo e entenda como acontece o aprendizado no cérebro:

E veja como isso se dá de maneira natural. Basta usar os ingredientes certos. Um pai fazendo bolo com os filhos ensina muito mais que fazer o bolo. E como o cérebro “gosta desse aprendizado”, os meninos sempre irão desejar mais. Aprender é natural.

Anúncios

A Borracha é um Erro em aula?

Segundo o cientista cognitivo Guy Claxton, professor visitante do Kings College London, no Reino Unido, a borracha deveria ser banida da escola.

O que o cientista defende é que motivamos a vergonha do erro. Como se o erro fosse para ser escondido. Sempre mostrei para meus alunos que, em uma correção, a gente deve apontar o erro e consertar. Observo que os meninos, apagam o que erraram e copiam, cegamente, do quadro o correto. Com o passar do tempo, na hora que vão estudar, esses alunos não olham com cuidado o erro para não errar mais. O que está errado, não é ruim em si, podemos e devemos compreender onde erramos e porque erramos.

Teacher cleaning chalkboard with duster --- Image by © Royalty-Free/Corbis

Teacher cleaning chalkboard with duster — Image by © Royalty-Free/Corbis

E para o Professor? O erro aponta um caminho para ser trilhado. Se uma turma quase que inteira está errando em determinado conceito, é hora de refazermos o caminho. Trabalhando de novo a habilidade por outro caminho, podemos desfazer o conceito errado.

“Observar os enganos cometidos por eles é uma parte essencial do trabalho de um bom professor”, acrescenta Coe. “É preciso ver as tentativas feitas para chegar à resposta para orientar melhor o aluno.”

Em sua proposta, Claxton defende que, ao negar ter cometido erros, os estudantes não estão sendo preparados para o mundo, onde enganos são cometidos – e é preciso conviver com as consequências disso.

O mal não está no objeto, na borracha, e sim acharmos que temos que acertar de primeira. Quantas vezes, temos que fazer e refazer alguma coisa até acertarmos? 

E mais: em Ciências, muitas descobertas vieram de erros. A comunidades_carentesescola deveria ser um laboratório de erros. Por que não se perguntar no momento que o aluno erra? Por que ele errou? O que aconteceu? A sua resposta me indica qual caminho?

E por que não ensinarmos ao nosso aluno a fazer perguntas parecidas no momento do erro? Fácil? Não! Mas isso é mais importante do que colocar o aluno para decorar a Tabela Periódica.

Para saber mais: A Borracha deveria ser Banida de sala de aula?

O lado esquerdo ou o lado direito do cérebro?

Muito se fala sobre o assunto: qual lado do seu cérebro você mais usa?

Dizem que quem usa o lado esquerdo gosta mais de línguas, matemáticas,… E quem usa mais o direito é mais voltado ao lado social, música…  Mas não está comprovado, pois as pessoas que tiveram algum acidente em uma das partes do cérebro, outra parte tomou o seu lugar naquela função afetada. Podemos dizer que o nosso cérebro é bastante plástico, isso é : ele pode assumir outras funções em áreas que não faziam aquelas funções. Por exemplo: as pessoas que perderam a função de falar, pois tiveram um acidente na área pequenina do cérebro cuja função é da fala, podem retornar a falar. Porque outra área do cérebro se incumbe da fala. ( veja no post sobre neurociências)

Hoje é muito questionada a tese de que os hemisférios cerebrais possuem uma divisão de tarefas rígida. Algumas funções específicas realmente são privilégio da esquerda ou da direita, mas tudo indica que muitas tarefas funcionem em um esquema de mutirão, em que o papel de cada área varia dependendo da necessidade.

Essa ideia de que cada metade do cérebro pode tanto cobrar escanteio quanto correr para cabecear se baseia em casos de pacientes com lesões cerebrais graves que realizam atividades supostamente ligadas às áreas perdidas. ( veja em ” O que faz cada lado do cérebro?“)

Mas só pra gente se divertir, faça esse teste e veja que lado do cérebro você usa. Tenha em vista que até o teste feito é questionado. Vamos lá?

lado esquerdo e direito1

 

Clique aqui: Lado direito do cérebro ? Lado esquerdo do cérebro?

Eu fiz e meu resultado foi que uso ambos lados! E você? Escreva nos comentários!

Estudo Dirigido para 5o ano

Estudo dirigido para alunos do ensino fundamental, sobre Neurociências

Um pouco mais de Neurociências!

Seu cérebro! Como aprender?

Guia do proprietário:

Aprender é um Barato !!!

Para seu cérebro aprender é quase como tomar uma droga : É um barato!!!

Lembro-me da primeira vez que tentei andar de patins. Sou grande e desajeitada. Para uma adolescente que tinha perto de 1 metro e 75 centímetros… ser desajeitada e sem equilíbrio… é pouco para descrever! Bom… dito isso… Ganhei os tão sonhados patins quando era adolescente. Minhas amigas todas já tinham e fomos nós andar. Quando coloquei nos pés os patins e fiquei de pé… Já senti que não ia ser fácil! Mas tentei: Caia, levantava, tentava , caia novamente e me punha em pé de novo… Minhas amigas me ajudavam, davam dicas e eu ia em frente. Quando aprendi… me senti vitoriosa.

Ao mesmo tempo, na escola, uma Professora de Educação Física – acho que por isso tenho trauma desta disciplina- me colocou para andar naquelas traves de ginástica. Eu era alta para a minha idade e sem jeito.. No primeiro passo me estatelei no chão e todos ( incluindo a Professora) caíram na gargalhada! Conclusão: Nunca mais quero ver aquilo novamente.

Meu cérebro aprendeu. Aprendeu com um sistema de tentativa e erro. Nosso cérebro aprende por um sistema sofisticado de repetição. Repetimos muitas vezes o que queremos aprender. Se caímos nos patins e levantamos novamente, nosso cérebro vai tentar outro movimento diferente daquele que nos fez cair. Se acertamos, ele mesmo tem um sistema de recompensa. Aí é que entra o barato!

Mas se erramos, temos duas saídas: Se o cérebro entender que aquilo não vale a pena,- se por exemplo, o Professor fez pouco da sua dificuldade ou se o tombo lhe trouxe machucados muito sérios ( talvez até na sua auto estima) – você vai desistir. Foi o meu caso na trave de ginástica.

Porém, se seu cérebro recebe o estímulo que deve para continuar, você aprende com os seus erros e tende a não repeti-los novamente.Você fará certo e seu cérebro vai te recompensar.

Então, pense nisso ! Toda vez que precisar aprender algo ( desde um passe novo no futebol ou um passo novo na dança até aquela solução para um problema dificílimo de matemática), o seu cérebro será recompensado. E você terá aquela sensação incrível de vitória.

Para saber mais : O Cérebro Nosso de Cada Dia !


O Cérebro do Adolescente

Aqui vai mais um tema que gosto muito: Neurociência

Todos nós já estamos carecas de saber que o corpo do adolescente sofre poderosas transformações nesta época. Os seios das meninas crescem, o quadril se alarga, vem a menarca ( primeira mentruação)… Pronto! Não são mais meninas! Com os meninos também há transformações: a voz fica grossa, o pênis cresce , ficam altos… Pronto … são homens ! ( Ou querem parecer assim).

Mas e o cérebro?

É ele que rege todas essa mudanças. O cérebro adolescente passa por um período de remodelagem, cujo final é o que todos nós queremos: A independência.

As transformações cerebrais começam no hipotálamo, que começa a controlar a produção de hormônios e ” acorda” o cérebro para a descoberta do sexo.

Depois veem as alterações do sistema de recompensa. Aquele sistema que o cérebro tem que recompensa com um sentimento bom tudo aquilo que ele acha que é legal ( como as brincadeiras de roda na infância ou uma bela torta de chocolate; o cérebro entende como coisa boa e lhe dá a recompensa de se sentir bem). Na adolescência esse sistema se modifica e nada que era bom, parece legal. As bonecas, jogos, carrinhos, brincadeiras … ficam aborrecidos. Resultado: é a tal da  ” aborrecência”! Tédio, perda de interesse , impaciência … são alguns de seus resultados.

O conjunto é muito bom, porque faz com que o adolescente crie asas e abandone os prazeres de criança. Largue da barra da mãe e queira se virar sozinho. A linguagem, memória e raciocínio abstrato são processos de rápida aprendizagem. E os meninos se interessam por filosofia, religião e política.

Mas o aprendizado social é mais lento. Precisa de tempo para o adolescente conseguir se colocar no lugar do outro, se antecipar as conseqüências de seus atos e tomar as decisões certas. Assim, o adolescente precisa de uma pessoa para lhe guiar! Que pessoa pode ser essa : os pais , responsáveis, família, professores…

Só não vale usar isso em benefício próprio, pois sabemos que alguns já sabem direitinho o que fazem. O que me resta é torcer para que cada um encontre seu caminho em seu tempo.

Para saber mais : http://www.suzanaherculanohouzel.com/


Qual é o sexo do seu cérebro?

Saiu um artigo bem legal na época sobre o assunto. Lá dá até para fazer um teste e ver se seu cérebro é mais masculino ou feminino. O meu é mais feminino.

Vou colocar aqui uma parte do artigo, mas leia todo e faça o teste!

O cérebro humano pode ser feminino ou masculino independentemente do sexo biológico de uma pessoa. Faça o teste e saiba se o seu cérebro tem o mesmo sexo que seu corpo

THAÍS FERREIRA

As diferenças no corpo de homens e mulheres estão além da aparência e dos órgãos sexuais. A ciência detectou que até o cérebro apresenta características femininas ou masculinas. Essa diferença neurológica gera diferenças de comportamentos, sentimentos e modos de pensar entre homens e mulheres.

Para ler o resto, clique aqui- Revista Época

Atrapalhando o seu Cérebro ( experiência)

Vamos brincar com o seu lado direito e esquerdo do cérebro?

Para essa experiência / brincadeira precisamos de :

  1. Uma mesa ( pode ser a sua da escola) – Não pode ser grande.
  2. Uma cadeira.
  3. Um pedaço de paplelão – que cubra um dos lados menores da mesa.
  4. Fita gomada
  5. Caneta
  6. Um labirinto desenhado em um papel- veja o exemplo.
  7. Espelho plano.

Você tem que arrumar a sua experiência assim. Olhe a figura e me desculpe o mal jeito dela, pois sou horrível em desenho.

A pessoa vai se sentar na cadeira e tentar fazer o caminho do labirinto pela imagem do espelho. Coloque o papelão de maneira que a pessoa não consiga ver o labirinto no papel, mas veja o espelho. A pessoa tem que passar as mãos por volta do papelão para alcançar a folha de papel.

Como a metade esquerda do seu cérebro comanda a sua mão direita e a imagem do espelho é invertida… Ferrou! Fica uma bagunça só!!! Na hora de passar no labirinto da direita para a esquerda, ou vice-versa, pouca gente consegue. Tem gente, como eu, que faz um furo no papel com a caneta e não sai do lugar!!!

Tente com a sua turma e depois me conta !

Aqui está uma idéia de um labirinto, mas faça outro de quiser.

Curiosidades : Neurociências

Você sabe que o seu cérebro é dividido em dois hemisférios ( veja a figura) – o hemisfério direito e o

esquerdo. Mas o que cada um faz ?

Continue Reading →

%d blogueiros gostam disto: