Anúncios
Skip to content

Qual é a Diferença entre…

Gimnospermas e Angiospermas?

Esse foi um pedido feito via um formulário de avaliação do Dicas e o pedido foi feito para  que o artigo seja feito por meio de vídeo. Então, vamos nós…

Lembre-se que é para ser uma revisão bem rápida.

Anúncios

Aula Síntese – Flores das Angiospermas

Uma aula síntese sobre as flores das angiosperma. Pode servir de resumo para o ensino fundamental ou uma introdução para o ensino médio.

Vamos lá?

Para baixar, clique aqui: Flores das Angiospermas.

tipos_de_flores_orquideas

Movimento da Dormideira

Quem nunca brincou com essa planta chamada de dormideira ou sensitiva? Quando eu era criança, já com a minha veia de Botânica talvez, ficava fascinada e intrigada. E me perguntava: o que está acontecendo?

Muitos leitores me mandaram a mesma pergunta: Como a planta Dormideira dorme?

tumblrm9slgev4jw1qgolbr

Vamos nós então!

A Dormideira ou Sensitiva ou Mimosa é da espécie Mimosa pudica, da mesma família das ervilhas e é nativa da América do Sul e Central. E tem uma característica muito especial: as suas pequenas folhas compostas se fecham ao serem tocadas.

Isso ocorre por um fenômeno chamado de turgescência ( entrada de água no tecido vegetal). Quando tocamos as folhas, a planta diminui a pressão de turgescência e, com menos água, as “folhinhas” ( pínulas) se fecham. Ela possui vários sensores que respondem a uma grande gama de estímulos, um deles é quando é tocada. De noite, as pínulas se fecham também.

Os cientistas não sabem bem a razão pela qual a dormideira ganhou esta resposta, mas julgam que estes movimentos sejam capazes de dissuadir predadores, pois talvez não prefiram uma planta que se mexa. Ou também julgam que movimentos súbditos sejam capazes de desalojar insetos que estejam pousados nas suas folhas.

O movimento realizado pelos vegetais graças a estímulos externos é denominado de nastismo.

Então, além de tocar a Dormideira, e, entender o que está acontecendo, você pode cantar:

“Dorme, dorme

Dormideira

Vai acordar

Na sexta-feira”

Uma planta com uma armadilha…

O nome científico da planta é Utricularia inflata, que é uma planta aquática e carnívora.

Essa pequenina planta endêmica das  planícies costeiras do sudeste do Estados Unidos, são na verdade plantas insetívoras são praticamente invisíveis para o olho destreinado. Possuem pequenas bolinhas (veja o vídeo), que são armadilhas usadas para caçar pequenos invertebrados aquáticos. Quando o animal toca a armadilha, uma porta  é acionada, criando um vácuo que suga a presa para dentro da bolinha. Vupt…. o animal está em uma prisão, onde é digerido.

Essa planta produz flores, é uma angiosperma. Uma inflorescência de até 20 flores amarelas fica no final de uma haste que se estende cerca de cinco centímetros acima da superfície da linha da água.

utricularia1

Poluentes atrapalham Polinizadores

A função do cheiro das flores é atrair os polinizadores ( Leia mais em Flores e Cheiros), mas a poluição das cidades está modificando o cheiro das flores.

A poluição proveniente de usinas de energia e automóveis destrói a fragrância das flores e impede a polinização, segundo um estudo realizado por cientistas da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos.

Em um relatório sobre a pesquisa publicado nesta sexta-feira pela revista “Atmospheric Environment”, os cientistas afirmaram que esse efeito dos poluentes explicaria a redução das povoações de insetos polinizadores, que se alimentam do néctar das flores, em várias partes do mundo.

Um trabalho publicado no periódico “Scientific Reports”  analisou os odores das flores em dois ambientes: um ar limpo e outro contaminado por poluentes do diesel. No primeiro caso, o cheiro das plantas não foi alterado. No segundo, dois de oito elementos produzidos nas flores desapareceram completamente em apenas um minuto, alterando o perfil químico das substâncias de odor.

“As moléculas aromáticas que produziam as flores em um ambiente menos poluído, como há um século, podiam se estender por cerca de 1.000 ou 1.200 metros” de sua fonte, afirmou José Fuentes, professor de ciências ambientais da Universidade da Virgínia.

O mesmo pesquisador explicou:

“No entanto, no ambiente poluído das grandes cidades, não passam de 200 ou 300 metros”.

“Isto faz com que os insetos encarregados da polinização tenham cada vez mais dificuldade para localizar as flores”.

O que acontece no fim é que os polinizadores não acham as flores para se alimentar e as flores não conseguem polinizadores para a sua reprodução.

O estudo demonstrou que  a poluição destrói o aroma das flores em 90%, em comparação com os períodos anteriores aos automóveis e à indústria pesada.

A (R)Evolução das Plantas

Uma exposição super legal para ver no Museu Nacional ( Quinta da Boa Vista, São Cristóvão/ Rio de Janeiro) sobre Paleobotânica.

Paleobotânica é a Ciência que estuda os fósseis de plantas. O mais legal é que em plantas, podemos contar a sua história evolutiva mais completamente do que em animais. Isso se explica pela quantidade de fósseis que temos nesta área.

carbonifero

Não vi ainda a exposição que começa em Julho. Mas acho que dá caldo. Que tal ir e contar aqui dessa experiência? Eu vou e prometo contar.

940

Polinização em alta definição

Olha que lindo!

Links legais para aprender

Um exercício interativo para aprender as partes de uma flor

Clique aqui: Partes da flor

Ciclo Biológico de Vida ( Angiospermas) – Clique aqui- Ciclo de Vida

As plantas – Para as turmas do ensino fundamental – Clique aqui: Plantas

Angiospermas – Reprodução Sexuada

As angiospermas são plantas com frutos, que conquistaram definitivamente o ambiente terrestre. São mais complexas e possuem o Ciclo de vida mais especializado. Vamos a ele.


A Flor:

A flor  ( que é um conjunto de folhas modificadas) é uma ramificação de crescimento limitado, que apresenta quatro tipos de folha modificada (verticilos), sendo dois verticilos férteis: o androceu (o conjunto de estames) e o gineceu (o conjunto de pistilos); os dois verticilos estéreis- que formam o perianto – composto pelo cálice (de cor verde e formado por sépalas) e pela corola (de cores vivas e formada por pétalas). As flores podem ser hermafroditas ( dióicas), mas também existem flores unissexuais ( monóicas). A forma da flor é de grande importância para a classificação das angiospermas.

O Ciclo de Vida:

Na parte masculina da flor ( o androceu), encontramos os estames onde estão os sacos polínicos. Nestes sacos polínicos encontramos as células -mães dos esporos, que por meiose se dividem em esporos haplóides.  Esses esporos, dentro dos sacos polínicos, sofrem mitose e se transformarão no gametófito masculino ( os grãos de pólen).

Na parte feminina ( o gineceu), dentro dos ovários, existem um ou mais microsporângios ( óvulos) presos ao ovário por um pedúnculo. Cada óvulo possui um tecido ( nucela), que protege dois tegumentos- primina ( mais externo) e secundina ( mais interno). Na nucela,  a célula -mãe do esporo sofre meiose e origina 4 megásporos ( Haplóides), dos quais só um sobrevive. Este sofre 3 divisões por mitose e forma uma massa de citoplasma com 8 núcleos hapóides,dois destes núcleos ( núcleos polares ) migram para o centro do pólo e se unem, formando um saco embronário com : a oosfera, três núcleos ( antípodas – que se degeneram) e mais dois núcleos ( sinérgides), além dos dois núcleos polares.


A Polinização:

Os grãos de pólen podem chegar ao gineceu pela ação do vento ou da água ou pelos animais. Ao chegar ao gineceu , o grão de pólen forma um tubo polínico , que cresce em direção ao ovário. Dentro deste tubo, o núcleo da célula geradora se divide e forma duas células espermáticas haplóides que funcionam como gametas masculinos.

Chegando ao ovário, essas células fecundam o óvulo, fazendo o que chamamos de fecundação dupla – uma característica das angiospermas. Uma célula  espermática se funde a oosfera gerando um zigoto ( diplóide) e a outra se funde aos dois núcleos polares, formando por sucessivas mitoses o endosperma da semente ou albúmen ( que serve de reservatório de nutrientes para o embrião). O zigoto faz vários mitoses e se transforma em embrião.

Após a fecundação, o ovário se transforma em fruto, que servirá para ajudar a disseminar as sementes.

Sumário para o Reino Plantae

Para o ensino médio :

Estou colocando a disposição de todos um pequeno resumo sobre o reino Plantae – 1a parte – onde você encontrará uma introdução e sobre as Briófitas, além de alguns exercícios. Baixe e divirta-se!!!

Para baixar, clique aqui: Sumário Reino Plantae

1 2 4
%d blogueiros gostam disto: