Anúncios
Skip to content

A Tabela Periódica

Toda vez que apresento essa aula, os alunos me olham com cara de pavor. Como se eles estivessem entrando em um mundo perigoso e com várias ” pegadinhas”. Mas não é nada disso.

Se você é um deles, respire fundo. Esqueça tudo que lhe falaram sobre a Tabela Periódica. Não é um bicho de sete cabeças. Primeiro, você não terá que decorar a Tabela. Foi-se o tempo que isso era uma Norma, agora não é ! A Tabela Periódica foi feita para a consulta. É como se fosse um Dicionário de Elementos Químicos. Você já decorou o Dicionário Aurélio ? Claro que não. Então, não precisa fazer o mesmo com a Tabela Periódica.

Agora, o que você precisa aprender é consultar a Tabela. E é isso que vou falar neste Post. Como consultar a Tabela Periódica ?

A Tabela Periódica foi construída para organizar os elementos químicos. Elemento Químico é o conjunto de átomos com o mesmo número atômico ( Z), ou seja: o mesmo número de prótons. O Nome ” Tabela Periódica” se dá pela periodicidade, repetição, de alguns dados dos elementos químicos.

Com a Tabela Periódica na sua mão podemos ver o número atômico (Z) do elemento químico, em geral, está em cima do Símbolo do Elemento. Olhe a sua tabela o Hélio ( He) tem o número atômico igual a 2. Também podemos ver  na Tabela qual o número de massa deste elemento ( em geral abaixo do Símbolo). Verificamos também qual é a usa Classificação ( Metais, Não Metais ou Ametais e Gases Nobres). O Hélio é um Gás Nobre.

O mais bacana é que a Tabela Periódica é organizada em Famílias ( as colunas da Tabela) e em Períodos (as linhas). Com as Famílias, poderemos saber quantos elétrons há na última camada dos elementos que ali estão. Na família 1a, temos 1 elétron na última camada da eletrosfera ( Camada de Valência). Na Família 2a , 2 elétrons. E vai assim. Até a Família 0 ( dos gases nobres) que tem em sua maioria 8 elétrons na Camada de Valência ( exceto o Hélio, com 2 elétrons).

Nos Períodos, veremos quantas camadas tem cada grupo de elementos. No Período 1 ( a primeira linha ) temos elementos com 1 camada ( somente a K). No período 2, duas camadas (K e L). E assim vai.

Fácil, né ? E ai é um bicho de 7 cabeças ?

Consulte uma Tabela Periódica Interativa aqui. É só Clicar : Tabela Periódica

Para saber mais Clique Aqui: Tabela Periódica

Anúncios

Isótopos, Isóbaros e Isótonos

São nomes diferentes esses , porém é muito fácil saber o que são átomos Isótopos, Isóbaros e Isótonos. Veja só !

Para melhor entender esses conceitos, primeiro devemos saber o que é …
Número atômico : é o número de prótons que um átomo tem em seu núcleo. É representado pela letra Z.
Número de massa : é a soma do número atômico ( ou o número de prótons) mais os nêutrons de um átomo. É representado pela letra A . Assim: A = p+n

Agora , pense em dois átomos de Hidrogênio. O primeiro átomo tem número atômico igual a 1 ( Z=1) e número de massa igual a 1 , também . ( A=1).
Mas o segundo átomo de Hidrogênio tem número atômico igual a 1 ( Z=1) e o número de massa igual a 2 ( A=2).

Estes átomos de Hidrogênio são Isótopos , porque têm o mesmo número atômico.

Isótopos são átomos com o mesmo número atômico mas número de massa diferentes.

Vamos para outro exemplo! O átomo do Argônio ( que é um tipo de gás) tem número atômico igual a 18 ( Z=18 ) e número de massa igual a 40 ( A=40). O Cálcio tem número atômico igual a 20 ( Z =20) e número de massa igual a 40. ( A =40).

Estes dois átomos são Isóbaros, pois têm o mesmo número de massa ! ( A =40, nos dois átomos)

Isóbaros são átomos com o número de massa igual , mas o número atômico é diferente.

Por último vamos aos Isótonos! Pense nestes átomos:

O Boro tem número atômico igual a 5 ( Z=5) e número de massa igual a 11 ( A =11) . Se você fizer 11 menos 5 dará 6 , que é o número de nêutrons do átomo ( n=6).

O Carbono tem número atômico igual a 6 ( Z=6) e número de massa igual a 12 ( A=12). Diminuindo 12 menos 6, encontraremos 6 . Então o Carbono, também ,tem 6 nêutrons (n =6).

Isótonos são átomos com o mesmo número de nêutrons .

Como no caso do Boro e do Carbono.

O pulo do gato para que você guarde sem muito esforço os conceitos acima, está aqui ! Mas lembre-se de primeiro entender para depois dar o pulo do gato, senão … coitado do seu gato !

Iso = é um prefixo que quer dizer igual . Então Isótopos, Isóbaros e Isótonos; todos tem haver com igual!

Isótopos = tem o p, que lembra Prótons. O mesmo número de Prótons ou número atômico

Isótonos = tem o n, que lembra Nêutrons. O mesmo número de Nêutrons.

O que sobrou foram os Isóbaros ! E o que sobra são o número de massa (A). Veja Isóbaros é o único com a letra A.

Mamão com açúcar ? Essa é para nunca mais se esquecer !

Pulseiras que Brilham

Você sabe como elas funcionam ?

Aviso- não coloque nunca a pulseira no microondas por muito tempo. Pode danificar o microondas e lhe machucar. Perigo!!!

Solubilidade

Quando falamos em solubilidade, queremos dizer da capacidade  de uma substância de se dissolver em outra. Esta capacidade, no que diz respeito a dissolução de um sólido em um líquido é limitada, ou seja , existe um máximo de soluto que podemos dissolver em certa quantidade de um solvente. Isto é solubilidade.

Muitas vezes confundimos que a solubilidade tem relação somente com um sal e a água. Não é bem isso, a relação é entre um solvente ( muitas vezes é a água , mas pode ser uma outra substância) e um soluto . Uma propriedade muito importante da água – no estado líquido-é de dissolver substâncias . A interação entre as moléculas do solvente (água) e as do soluto é que são responsáveis pelo processo de solubilização: quando uma substância iônica é dissolvida em água, os cátions são atraídos pelo lado “negativo” da molécula de água e os ânions pelos lados “positivos”. Este processo é chamado de hidratação. ( Veja melhor aqui)

Definindo : Solução/ Soluto/  Solvente

Solução é qualquer mistura homogênea.

A água que bebemos, os refrigerantes, os combustíveis (álcool hidratado, gasolina), diversos produtos de limpeza (como sabonetes líquidos) são exemplos de soluções.

Tipos de soluções: solução líquida (ex.: refrigerantes), solução sólida (ex.: bronze = cobre + estanho) e solução gasosa (ex.: ar atmosférico).

Componentes de uma solução

Os componentes de uma solução são chamados soluto e solvente:

– Soluto é a substância dissolvida no solvente. Em geral, está em menor quantidade na solução.
Solvente é a substância que dissolve o soluto.

Classificação das soluções


De acordo com a quantidade de soluto dissolvido, podemos classificar as soluções:

– Soluções saturadas contêm uma quantidade de soluto dissolvido igual à sua solubilidade naquela temperatura, isto é, excesso de soluto, em relação ao valor do coeficiente de solubilidade (Cs), não se dissolve, e constituirá o corpo de fundo.
– Soluções
insaturadas contêm uma quantidade de soluto dissolvido menor que a sua solubilidade naquela temperatura.

 

Veja um bom exemplo: quando colocamos muito açúcar no copo com água , o açúcar vai para o fundo . Esta solução está saturada. Mas se não colocamos aquela quantidade enorme de açúcar essa solução está insaturada.

-Solução superssaturada – Isto só acontece quando o solvente e soluto estão em uma temperatura em que seu coeficiente de solubilidade (solvente) é maior, e depois a solução é resfriada ou aquecida, de modo a reduzir o coeficiente de solubilidade. Quando isso é feito de modo cuidadoso, o soluto permanece dissolvido, mas a solução se torna extremamente instável. Qualquer vibração faz precipitar a quantidade de soluto em excesso dissolvida.

O que é coeficiente de solubilidade ?

O coeficiente de solubilidade é a quantidade de soluto necessária para saturar uma quantidade padrão de solvente a uma determinada temperatura. ( Para saber mais leia )

Outros sites para se aprofundar :

http://educacao.uol.com.br/quimica/ult1707u20.jhtm

http://educar.sc.usp.br/quimapoio/solubili.html



Aula Prática – Capilaridade

Notas de Aula sobre Capilaridade e Cromatografia em Papel – para baixar em PDF.

Ajuda para Maria

Maria é uma leitora de um Blog antigo meu “Feira de Ciências”, que está lá meio parado.

Mas ela me pediu ajuda para montar uma Bateria de niquel-cádmio. Essa pilha se chama Pilha de Daniell ( escrito assim mesmo) e tem um link bem fácil de achar para montar essa bateria. O link é : http://cienciaemcasa.cienciaviva.pt/pilha_daniell.html

Deixo aqui as instruções para montar a pilha . Vai lá no link para ver mais :

Material :

  • Algodão.
  • Tubo de borracha.
  • Dois copos de vidro.
  • Dois fios condutores com crocodilos. ( aquelas mãosinhas para agarrar)
  • Voltímetro.
  • Luvas de latex.
  • Óculos.

Compostos :

  • Água destilada.
  • Placa de cobre.
  • Placa de zinco.
  • Sulfato de cobre.
  • Sulfato de zinco.
  • Cloreto de sódio.

Procedimento:

1. Atenção! Durante a execução desta experiência deves proteger as mãos com umas luvas e os olhos com uns óculos.

2. Começa por preparar uma solução aquosa de cloreto de sódio para a ponte salina.

3. Deita a solução aquosa de água e sal no tubo de borracha e encerra as extremidades com algodão. (o algodão deve ser colocado de maneira a impedir que a solução de NaCl saia. No tubo não deve ser visível qualquer bolha de ar. Caso exista a performance da ponte salina pode ser seriamente prejudicada)

4. Enche 2/3 do volume total dos copos com água destilada.

5. Deita uma colher de sulfato de cobre no primeiro copo e uma colher de sulfato de zinco no segundo. Mistura bem as soluções.

6. Utilizando um fio condutor com crocodilos nas extremidades, une o eléctrodo de zinco ao fio preto (COM) do voltímetro.

7. Com o outro fio, une o fio vermelho do voltímetro ao eléctrodo de cobre.

8. Mergulha cada uma das extremidades da ponte salina nas soluções de sulfato de zinco e sulfato de cobre. (o sistema não funciona se a ponte salina não estiver bem mergulhada)

9. Mergulha o eléctrodo de zinco na solução de sulfato de zinco. (cuidado com manuseamento do sulfato de zinco porque este é nocivo)

10. Mergulha o eléctrodo de cobre na solução de sulfato de cobre. (podes verificar que o voltímetro passa a apresentar uma diferença de potencial próxima de 1,1 V)

Lago na Lua de Saturno

Em Titã, uma das Luas de Saturno, foi confirmado a existência de um lago, bem perto do pólo sul. A sonda Cassini, da Nasa e da Agência Espacial Européia (ESA), usando ondas infravermelhas comprovou a existência do lago.

Mas o lago não é de água, ,e, sim de um tipo de hidrocarboneto. Hidrocarbonetos são compostos de carbono, como o carvão e o petróleo. No caso de Titã é o etano – um hidrocarboneto, como o metano, nosso gás de cozinha. E um estudo publicado na Geophysical Research Letters por outra equipe de cientistas apresentou uma estimativa de que Titã contém mais hidrocarbonetos que todas as reservas de petróleo e carvão da Terra.

Titã possui uma atmosfera densa, repleta de hidrocarbonetos, e temperaturas da ordem de -180º C. Já se especulava a muito tempo que podia existir tais lagos.

O cientista Robert Brown, da Universidade do Arizona (EUA), diz que a “química que ocorre em Titã poderia ser vista como “precursora de vida”, mas lembra que a vida, como a conhecemos, requer água em estado líquido. Mas a água que existe em Titã está “congelada na crosta de Titã, e até a possibilidade de um oceano subterrâneo, ela não existe como líquido na superfície ” – explica o cientista.

Agora, nos resta esperar para ver o que mais nos aguarda no nosso Sistem Solar e fora dele. Vamos ter algumas outras supresas.

Leia também – Água em Marte ( “Nós temos água!”)

Ciclo do Nitrogênio – Leguminosas

Primeiro, vou explicar o que são Leguminosas. As leguminosas são plantas pertencentes a família Leguminosae. Não fique logo pensasndo que são os Legumes, não é isso ? As plantas que estão nesta família têm , também, alto valor nutricional, mas não são os Legumes. O feijão, a soja e a ervilha são exemplos deste grupo.

Depois desta pequena explicação, vamos ao Ciclo do Nitrogênio e a sua relação com as Leguminosas.

Continue Reading →

Combustão – Para Gabriella

Resposta para a Gabriella

A combustão é uma reação química exotérmica, isto é : libera o calor. Para haver uma reação de combustão temos que ter duas coisas : Um comburente ( geralmente um gás como o oxigênio – O2) e um combustível ( gás de cozinha, óleos vegetais, gasolina, querosene, carvão, etc.).

Na reação de combustão, o que geralmente acontece é a formação do gás carbônico CO2 e da água (H2O), além do calor , é claro. Então, por exemplo, na combustão do gás metano ( CH4 ) – que é o gás de cozinha – e o oxigênio ( 2 O2), teremos a seguinte fórmula :

CH4 + 2O2 → CO2 + 2H2O + Calor

Essa é uma Combustão Completa, quando ocorre a formação de gás carbônico e água.

Mas se a Combustão for Incompleta vai ocorrer a formação de Monóxido de Carbono (CO) , água e outras substâncias. É o caso da combustão da gasolina, veja a equação abaixo:

A Gasolina é um Hidrocarboneto (C7H16) que ao reagir forma uma certa quantidade de monóxido de carbono, que está saturando a atmosfera provocando o efeito estufa e o aquecimento global.

Novo Post em Novo Blog

A Professora Cristiana me fez um convite para particiupar de um Blog Cooperativo ( Pesquisas de Química) sobre as várias Ciências. Lá estou eu!

O Primeiro post meu é sobre Bactérias Aeróbicas e Anaeróbicas. Mas tem muita coisa lá bem interessante. passa no Blog e dá uma conferida!

%d blogueiros gostam disto: