Quando a seca bate a nossa porta…

Nós, moradores do Sudeste, estávamos muito confortáveis. Afinal, seca era um mal do Nordeste. Mas, agora, a realidade está em nossos calcanhares.

O interior paulista sofre com a maior seca dos últimos 70 anos. A seca provoca queimadas, qualquer pedaço de vidro pode causar um desastre. O Estado do Rio de Janeiro tem sofrido com as queimadas do pouco que nos resta da Mata Atlântica.

E como não bastasse, nas eleições os partidos se acusam e colocam na conta do outro. Mas o que ninguém explicou é que a nossa seca está relacionada com a Amazônia.

Os chatos de plantão…

Eu estou incluída. O Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) vem avisando que se continuarmos a desmatar, teremos problemas ( são os chatos de plantão). Eu mesma falo disso sempre que posso, mas parece que a Amazônia também não é problema nosso.

Todo o território brasileiro depende da chuva que a Amazônia gera e que está minguando devido ao desmatamento. Os chamados rios voadores são os responsáveis. As grandes massas de água, que viajam da Amazônia para o restante do território brasileiro, levam a umidade que alimentam as chuvas.

Pulmão do Mundo ou Torneira do Mundo?

A mídia não tem auxiliado nesse processo. Na maioria dos jornais, revistas, noticiários de TV,… chamam a Amazônia de pulmão do mundo. Mentira.

Graças à Amazônia, ou melhor, graças as árvores da Amazônia as águas das chuvas são mobilizadas e bombeadas novamente para a atmosfera. O fenômeno é conhecido como evapotranspiração, ou seja, a água das chuvas que fica retida nas copas das árvores evapora e permanece na atmosfera em forma de umidade. É exatamente essa umidade que forma os rios voadores.

A Amazônia está mais para torneira do Mundo.

rios-que-voam-Meio1-2

A resposta está no vento…

Segundo dados do Greenpeace, nos últimos 4 anos, o país contabilizou um aumento de 29% na destruição da floresta. Dados recentes do INPE apontam que esse ano temos um nova tendência de alta.

Vamos pensar maior. A solução não está somente nos reservatórios de São Paulo ou Rio de Janeiro, e, sim na Amazônia.

Os ventos da floresta trazem a umidade e a resposta estes ai.

Como cantou Bob Dylan:

“The answer, my friend, is blowin’ in the wind / The answer is blowin’ in the wind (…)”

Anúncios