Antes de você se aventurar neste Post aviso: Não sou especialista no assunto! Não sou psicóloga ou psiquiatra ! Sou somente uma Professora que observa ( e muito) os meus alunos!

Depois de alguns anos ( mais ou menos 10) estou achando que vivemos uma epidemia de meninos com TDAH ( Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade). Chega muito aluno nas minhas mãos já com esse diagnóstico , medicado e tem que ser observado. Muitos realmente são casos disso. Outros… tenho lá minhas dúvidas!

Quando a metade da turma tem TDAH, a luz vermelha acende! O que está havendo?

Um aluno com essa síndrome realmente não para, não se aquieta, nem com trabalhos lúdicos! Algumas coisas o prendem, mas por longos 5 minutos ! Outras, nem por 2 segundos!

Mas outros alunos, diagnosticados como TDAH, medicados com a Ritalina, não se comportam assim. São hiperativos e com falta de atenção em algumas atividades, outras são mais organizados e menos hiperativos. “Tá” certo, são alunos medicados. Mas o primeiro grupo também é!

E ai vem a Professora aqui com a pergunta: talvez seja mais fácil medicar do que dar limites. Sei de casos de pessoas “diagnosticadas” em uma conversa de 30 minutos com o médico. E não se tem um diagnóstico sério desta síndrome em minutos! Sei de responsáveis que andam de médico em médico para ter o diagnóstico correto ( tic!) para o filho.

Com anos de sala de aula, vejo com preocupação isso acontecer! E não é só minha a preocupação, muitos outros profissionais da saúde falam o mesmo: no lugar do limite, Ritalina ! Será que essa é a solução ?

Um pouco sobre Fossilização

Anúncios