Skip to content

Sobre a Ditadura dos Livros Didáticos

Tem horas que a gente tem que dar um basta, tem que falar que chegou, não tem mais espaço… Estou neste momento. E lá vai meu desabafo.

Logo que me formei, era completamente contra ao uso do livro didático. Sempre achei que ele amarrava, prendia, não se encaixava nas minhas aulas,… Com o tempo, eu aprendi a não ser tão radical. Aceitei o livro na minha sala de aula.

Sempre que adoto um livro, vejo bem como ele é, o jeito que ele é montado, a linha que segue… Livro, para mim, sempre foi um guia. Como uma linha para seguir, mas só para orientar a jornada. Nunca me amarrei a essa linha, tanto é que uso o livro de uma maneira diferente. Vou, volto, pulo partes e retorno. Nunca é capitulo 1, 2, 3,… como se fosse uma prisão.

Isso deixa alguns responsáveis em cólicas, a impressão que fica é que não uso o livro inteiro. E para ser totalmente sincera: não uso mesmo. Livro Didático não é álbum de figurinhas, que tem que ficar todo completo. Claro, que temos que usar ( adotamos o livro e o responsável comprou ). Livro didático não é barato, tenho que lembrar do investimento feito. Mas o Livro não pode se tornar mais importante do que meus Alunos.

São os Alunos que dão o tom da aula, são eles que me mostram o que realmente tenho que fazer. Claro, tenho um planejamento feito para ensinar aquilo que tenho para ensinar ! Mas nem o planejamento pode ser tão limitante assim!

E ai vem o responsável, geralmente nesta época do ano, com questionamentos do tipo: Por que não usou as páginas 121, 14 , 51? Por que não usou o livro todos os dias ? Por que o meu filho estuda mais pelo caderno que pelo livro ? Caramba … Livro não é álbum de figurinhas!

O livro didático está se tornando uma camisa de forças, onde não podemos nos mexer nem um milímetro pra lá ou pra cá! Temos que usar o livro todinho, de cabo a rabo, de lá pra cá, da esquerda para direita ! E se você se depara com algum outro material ? Se o aluno faz uma pergunta que te leve para outros caminhos ? Se um vulcão acorda no Chile e você está no capítulo sobre aves? Não fala? Diz que não é hora ? Manda o aluno ler sobre aves quando ele está cheio de informações sobre o vulcão chileno? Fala, meu filho aqui não é hora de falar de fósseis ? É isso ?

Sabe… isso me irrita muito. Perdão, mas é isso que eu sinto: irritação! Essa mediocridade, esse “lesco lesco” mental e essa ditadura dos livros; me irritam. Talvez, seja a hora de nós, Professores, falarmos um basta pra isso tudo e não deixarmos um mero livro didático esvaziar as nossas aulas.

Anúncios

2 Comments »

  1. È interessante q no tempo de avançadas tecnologias educacionais, ainda se tenha esse tipo de discussão. O LIVRO DIDÁTICO É BOM OU RUIM? DEVE SER USADO TODO? Essa é uma discussão antiga, e hj meio q desproposital.
    Claro os pais dos alunos cobram aquilo q a escola, os educadores , os editores dizem. Eles não são especialistas no assunto.. E tb não sabem o qto de interesse econômico está por traz da ditadura do livro didático. O Livro Didático é apenas mais uma ferramenta q pode ser usada em sala de aula e concordo q alguns com bastantre restrição.. Não podemos entender q na Sala de Aula hj, um único recurso seja usado. Porém mtos profs. tb contribuem para esse pensamento, ainda é o recurso mais fácil de ser usado pelo prof. E mtos usam da pg. 1 a última.
    Concordo com vc profa. Andréa abaixo a ditdura do Livro Didático. Em frente com uma sala de aula c/ mtos livros, material de pesquisa , experimentação computadores, observação do mundo. E mta,mta, discussão para conclusões coletivas. Anotações pessoais do q estudaram. Isso é aprendizagem.
    Mais uma vez PARABÉNS!!!!!!!

  2. Socorro,
    sei que é um tema antigo e que no tempo de diversas mídias, isso deveria ser um tema não recorrente. Mas isso também me estimulou e me irritou: o fato de muitos pais louvarem as multi mídias e também ( os mesmos responsáveis) se fossilizarem no tal Livro.

    Já fiz um trabalho ( um ano) onde a turma não tinha um livro só. Na sala de aula, tínhamos uma Biblioteca de Livros Didáticos, que recorríamos toda vez que precisávamos. ( este pode ser um tema de outro poste, quem sabe ?). Nesse ano, o trabalho foi sensacional e produtivo.

    Acredito nisso, várias mídias, vários livros, várias fontes… e um aluno sujeito do seu saber, não só um repositório de conhecimentos vagos e sem sentido algum para ele.

    Podemos fazer isso. Mas nós, Professores, temos que sair da zona de conforto que é o Livro Didático neste caso e ousar! Cabe a nós mudarmos essa Ditadura.

    Obrigada, Socorro. Você e sua sabedoria me ajudam muito. Beijos 😉

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: