Há cerca de 3,5 bilhões de anos atrás, a primeira célula eucarionte apareceu. Mas como isso aconteceu ?

Atualmente, a hipótese mais aceita para explicar como surgiram as células eucarióticas é conhecida como teoria endossimbionte (deendo = interna + simbiose = relação ecológica em que ambos os parceiros ganham). Essa hipótese foi proposta pelo biólogo russo Konstantin Merezhkovsky (1855-1921), essa teoria foi “redescoberta” em 1967 por uma professora da Universidade de Massachusetts (EUA) chamada Lynn Margulis.

A teoria endossimbionte fala que as células procariontes primitivas faziam sucessivas simbioses e que ( por razões desconhecidas ) algumas acabaram não sendo digeridas por seus predadores e permaneceram em seu interior usufruindo da abundância de compostos semidigeridos presentes no citoplasma dessas células. Com o passar do tempo os procariontes que foram fagocitados acabaram por oferecer vantagens para a célula hospedeira.

Assim, formou-se várias organelas na célula como a mitocôndria e o cloroplasto, por exemplo.


Alguns cientistas acreditam que parte dos genes das mitocôndrias e cloroplastos tenham sido transferidos para o núcleo celular, de onde controlam o funcionamento dessas organelas. Assim, a enorme complexidade do genoma dos eucariotos, em comparação com o dos procariotos, tem sido explicada por eventos sucessivos de fusão do material genético entre endossimbiontes diferentes, aliado a uma pressão evolutiva que tem “moldado” nosso genoma.

Anúncios