Criei uma pequena enquete para saber , qual seria o próximo assunto no Blog . E com 33% dos votos ganhou a Botânica e em segundo lugar foi a Educação Sexual ( 29%).

Vou fazer outra enquete, que vai incluir a educação sexual, para vocês escolherem novamente.

Como a área de Botânica é enorme, e , não foi especificado nenhum tema; escolhi a Evolução Vegetal. Esse tema é muito legal e tem uma vantagem: Em termos de fósseis, os fósseis de vegetais têm menos lacunas na sua evolução do que os dos animais. Então vamos lá ?

O primeiro ser vivo que apareceu na Terra vivia no oceano, não era autotrófico, quer dizer não fazia a Fotossíntese. A Fotossíntese é um processo muito elaborado, e, acredita-se que o primeiro ser vivo era heterotrófico ( se alimentava de outros seres vivos ou de alguma proteína que tivesse “dando sopa ” no oceano ) e anaeróbico ( fazia a respiração sem o Oxigênio). Nesse ponto é que devemos pensar melhor…

“Mas por que sem Oxigênio? “. Bom, sem plantas que fazem a fotossíntese, não existia o oxigênio livre,que nós seres vivos aeróbicos usamos para respirar. Mas ai surgiram células que eram capazes de fabricar o seu alimento usando substâncias inorgânicas simples. Ou seja: as células pegavam o gás carbônico e algumas substâncias neste oceano primordial, com a ajuda da energia do Sol ; fabricavam um açúcar. Essas seriam as primeiras células autotróficas que faziam a Fotossíntese. Como resultado da Fotossíntese, tínhamos o Oxigênio livre na atmosfera.

Com o aumento do oxigênio na atmosfera tivemos a formação da camada de ozônio, que protege os seres vivos na radiação UV. A Terra se modificou assim. Além disso, o açúcar fabricado por essas células autotróficas estava mais disponível para entrar na cadeia alimentar dos seres vivos.

O próximo passo era sair da água e se sustentar no solo. Isso aconteceu com o surgimento dos Musgos, da divisão botânica das Briófitas. Os Musgos são mais resistentes a desitratação, mas não possuem canais de transporte de água ( não são vascularizadas) e isso impede muito o seu crescimento. Além de tudo, os Musgos necessitam muito da água para viver.

As células das Briófitas possuem cutícula e a parede celular, o que já é um grande avanço e impede a desitratação dos musgos em ambiente terrestre. Com a cutícula nas folhas, que é uma espécie de cera, apareceu uma desvantagem: ela impede as trocas gasosas, ou seja , a entrada de Gás Carbônico e a saída do Oxigênio. E isso foi resolvido com o surgimento nos Musgos dos estômatos, que são pequenas aberturas onde se dá essa troca na Fotossíntese. ( Veja a figura)

Depois surgiram as samambaias , da divisão Pteridófitas. Essas eram vascularizadas e tinham as raízes para se fixar no solo. E com o passar do tempo as plantas sugiram com semente nuas ( Gimnospermas) e ,mais tarde, com flores e frutos -as Angiosperamas. (Leia também Angiosperma e Gimnosperma)

Os cientistas acreditam que as plantas levaram milhares e milhares de anos para se adaptarem ao solo. As samambaias por exemplo, chegaram ao seu auge junto com os grandes Dinossauros , isso foi quase ontem em termos geológicos. O nosso planeta tem a “cara” e o “jeito” que tem por causa da Fotossíntese. Temos que ser muito agradecidos as plantas. Pois sem elas , respirar seria impossível para a gente.

Anúncios