Espero ser bem clara : não sou formada em Física, e sim em Biologia. Mas ensino física e química para o 9o ano (8a série) das escolas qui no Rio. Sou uma curiosa no assunto e me deixo levar por várias leituras.

Assim, ando lendo um pouco sobre Física Quântica. Com a única finalidade de “matar” minha curiosidade e , lapis.jpgtambém, porque meus alunos andaram me perguntando sobre isso . Agora, vou partilhar um pouco ( só um pouco) com você ! Se interessar escrevo mais !

Até a pouco tempo atrás, a física de Newton dava conta de tudo que podíamos explicar. Era uma ciência de causa e efeito. Se eu jogo uma pedra, ela vai se movimentar. Se não aplico nenhuma força nela , não vai haver movimento. Simples e belo !

Mas algumas pessoas começaram a pensar. Pelas leis da física, onde negativo e positivo se atraem, o átomo nunca poderia existir. Pois os elétrons ( carga negativa) seriam atraídos pelos prótons ( carga positiva), e… pronto! O átomo pensando bem seria altamente instável !

Pensou-se, então, que os nossos sentidos não poderiam perceber o que aconteceria no mundo minúsculo do átomo. E que existiam leis para governar esse pequeno mundo.

O átomo, agora, não pode ser visto como um sistema solar pequenino, com os elétrons circulando o núcleo . Podemos dizer exatamente onde e quando um determinado planeta do nosso sistema solar vai se encontrar em relação ao Sol. Mas não é o mesmo com os elétrons.

Assim, o elétron não gira em volta do núcleo, mas age como uma corda de violão. Ele “ressoa”, “vibra” … E cada padrão desta “vibração” é como se fosse uma órbita. Então, como a onda do mar, não podemos determinar a exata posição deste elétron.

É deste pequeno mundo que se trata a Física Quântica. Trata de uma enorme indeterminação, talvez um pouco frustante. Pois mesmo o ato de observar o elétron, interfere nele. É como se a gente fosse catar um bicho debaixo de um armário. No momento em que catucamos o bichinho para que a gente o veja, ele muda de lugar. Não dá para determinar onde ( em que ponto) ele estava ! Legal, né ?

Anúncios