“Esses loucos Professores?”


Encontrei esse texto por acaso no Facebook e amei! Achei a minha cara e a cara de muitos outros Professores que conheço bem. Professores que ensinam, que não esperam as condições ideais para fazer as coisas, fazem e se orgulham do que fazem.

Para meus amigos, Professores Loucos, que estão espalhados por esse mundo:

Esses loucos professores?

“Esses são os loucos que ensinam.” Eu os conheço. Eu os vi muitas vezes. São raros. Alguns saem de madrugada para estar na escola uma hora mais cedo, outros deixam a escola uma hora mais tarde, porque eles têm milhares de coisas para resolver, inspecionar, limpar, decorar e enfeitar a sua sala de aula, porque esperou por alguém vir buscar um de seus alunos. Outros atravessam todos os dias vários quilômetros rodados e como muitos de volta: eles são loucos! Quer uma prova sólida de sua loucura? Quantos professores podem estar mais preocupados com algumas crianças que não são filhos de seu sangue do que seus próprios pais! Só para não falar que muitos professores, às vezes, deixam em segundo plano seus filhos para compromissos de trabalho.

No verão, não deu férias, apenas uma pausa da escola, mas não inteiramente desconectada. Eles pensam em suas aulas, preparam trabalhos, exercícios e fazem cursos de reciclagem.

No inverno, falam muito, sempre levam mel e doce de limão em seus bolsos. Outros vão com uma garrafa de água ao seu lado ou com suas pílulas “Vick “ e até mesmo o bom e velho gengibre. Sua garganta é sempre dolorida, mas ainda ensinando. Às vezes, forçando sua voz, mas continuam a transmitir os seus conhecimentos com carinho e entusiasmo. Eu os vi, eles não estão bem da cabeça. Eles vão caminhar com seus alunos e são responsáveis pela gestão das autorizações, coletando dinheiro e responsabilidade extra.

À noite, eles sonham com a faculdade, eles são planetas, ecossistemas e figuras históricas. Isto é, se você não ficar acordado até a madrugada se qualificando, fazendo listas ou materiais. Eles são maus, sacrificam seus sábados para a formação e não se importam em perder tempo de folga ou com sua família para se renovar.

Eles dizem que são autocríticos e que fazem um balanço de suas experiências educacionais, frustram-se quando as coisas não saem como o esperado, alegram-se quando seus alunos progridem . Apesar de muitos terem décadas de serviço, sempre encontram novas maneiras de fazer as coisas. Eles são surpreendidos quando compararam um ciclo escolar com outro, e anotam o que funcionou e o que não para o ano seguinte.

Eles são doentes da cabeça, eu já percebi. Eles não podem tirar uma licença médica ou de um de seus dias de dispensa, só porque ninguém pode ficar com seus alunos. Dizem apenas que eles são os professores e sentem muito orgulho de sê-los. Que se voltassem no passado e escolhessem uma carreira, esta seria, certamente e novamente, a de louco, ou seja, professores.

Eu conheço um muito especial e neste exato momento ele está lendo estas linhas…

RAFAEL TOLFO|PROFESSOR E ESCRITOR

Monocotiledôneas e Dicotiledôneas

About these ads

5 thoughts on ““Esses loucos Professores?”

  1. Grande texto. Mas depois de 30 anos de sala de aula , não sou mais assim. Quanto a questão da família sugiro dar tempo e atenção para ela. Haroldo.

Meu Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s